Pesquisar este blog

Carregando...

domingo, 29 de março de 2015

Frei Tomé de Jesus e o consolo da oração


Quis finalmente o Senhor ir buscar consolação na oração ao Padre Eterno, em quem sabia que não havia de achar dispensação do que lhe mandava padecer, para que entendamos que não está a divina consolação em nos tirar Deus os trabalhos que nos dá, mas em humilde sujeição e conformidade à sua santa vontade: e em andar sempre por amor unidos a Ele e pendendo em tudo dEle.

Todo sou miserável, bom Jesus, porque ou Vos fujo quando me atribulais e não busco em Vós consolação; ou Vos busco apegado à minha vontade e amor próprio, que impede a obra que quereis fazer nesta alma. Livrai-me de mim, Deus meu, pois eu sou o que me mato e o que ponho todos os impedimentos à Vossa graça e à Vossa luz e às Vossas soberanas mercês: em tudo sou quem sou, curai-me Vós, Deus meu, em tudo como quem sois.

(Frei Tomé de Jesus, Trabalhos de Jesus, II, trabalho 26)

quinta-feira, 26 de março de 2015

Concílios, dogmas, pastorais e monjas enclausuradas


Antes, os Concílios existiam para corrigir os erros doutrinais originados de práticas pastorais equivocadas. Com o Vaticano II, é o Concílio mesmo que se encarrega de exacerbar essas práticas. Para não falar no pós-concílio, que abriu caminho para o Judas peronista e as geriátricas adolescentes de seu fã clube contemplativo.

PS: Justamente esculhambadas na TV por uma humorista italiana, essas freiras "enclausuradas" responderam via Facebook (!) que "se quisessem homens escolheriam outro lugar e outro homem" (sic).
Ou seja, monjas contemplativas enclausuradas que se comportam como macacas de auditório, assistem a programas humorísticos de TV, têm conta no Facebook e usam de um linguajar chulo para expressar ideias ainda mais chulas.
Só podiam ser fãs de Bergoglio, mesmo.
Por outro lado, chama a atenção a atitude de violenta repulsa e repugnância do antipapa para com as monjas. Pela expressão do rosto, algo visceral. Mais uma demonstração de seus verdadeiros sentimentos para com a espiritualidade católica tradicional, sem dúvida.

quarta-feira, 25 de março de 2015

Persiste o silêncio sobre a heresia bergogliana: onde está a seriedade da hierarquia?

Continua sem nenhuma resposta o pedido de explicações de Antonio Socci e de muitos outros blogs acerca da negação pública feita por Jorge Bergoglio da existência do inferno e da imortalidade da alma.

Sem dogmas, não há fé, e sem fé, nada de Igreja.

Enquanto persistir o silêncio sobre matéria de tamanha gravidade, é a própria seriedade da hierarquia católica como um todo que está em cheque.

Quem cala, consente: com este silêncio complacente, o inteiro colégio episcopal compartilha, pelo menos por omissão, da heresia bergogliana.

Situação mais catastrófica, impossível.

Kyrie eleison, Christe eleison, Kyrie eleison.

terça-feira, 24 de março de 2015

Bergoglio, Fátima e o inferno


A que ponto chega a hipocrisia e a falsidade de Jorge Bergoglio e o seu total descaso das coisas santas, que usa como mero instrumento de promoção pessoal:

Em maio de 2013, a pedido pessoal de Bergoglio, o cardeal patriarca de Lisboa consagrou o seu pontificado a Nossa Senhora de Fátima. A mesma Virgem que mostrara aos pastorinhos de Fátima as impressionantes imagens dos tormentos das almas no inferno.

Tudo isso para que agora o antipapa confesse ao seu todo-poderoso amigo maçom, e por ele às multidões de fiéis lobotomizados, que o inferno não passa de conversa fiada.

Em Bergoglio, tudo é falso. Mas é preciso admitir a coerência de seus atos. Com certeza, se tivesse uma fé pequena que fosse no inferno, não ousaria cometer a montanha de sacrilégios, blasfêmias, heresias e escândalos que vem acumulando.

Surprise!


Bergoglio não acredita no inferno. Quando acordar com aquele cheirinho de queimado, a surpresa será grande.

segunda-feira, 23 de março de 2015

Bergoglio converte-se às Testemunhas de Jeová



A doutrina exposta por Jorge Bergoglio, com nitidez e clareza, a Eugenio Scalfari, qual seja, a negação do inferno e a afirmação de aniquilação dos pecadores depois da morte, é expressão fiel do credo das Testemunhas de Jeová a este respeito.

Depois de flertar com o judaísmo no muro de Jerusalém e com o Islã na mesquita turca, parece que o antipapa finalmente encontrou a luz junto à Torre de Vigia.

O que explica o seu ódio furioso contra a Igreja Católica. Como é notório, para as Testemunhas de Jeová o Catolicismo é uma instituição satânica que deve ser destruída.

Na foto acima, Berggy com colegas jesuítas, provavelmente meditando as célebres páginas dos Exercícios Espirituais acerca do inferno, escritas pelo velho criptolefebvriano Inácio de Loyola.

sábado, 21 de março de 2015

Vaticano não desmente heresia da mortalidade da alma: agora é ou Cristo ou Bergoglio



Nada de desmentido. Uma semana depois de Jorge Bergoglio negar de modo nítido e claro os dogmas da imortalidade da alma e do inferno no jornal La Repubblica, o Vaticano continua silencioso sobre o caso. Quem cala, consente, sobretudo em matéria de tamanha gravidade.

Ou seja, temos diante dos olhos o que a teologia católica sempre considerou impossível: um papa aberta, pública e conscientemente herético.

Impossível porque há uma promessa explícita de Cristo de que o inferno não prevalecerá sobre a Pedra.

"Mas, dirão talvez, segundo os argumentadores modernos, se o Papa se tornar herético, furioso, destruidor dos direitos da Igreja etc. , qual será o remédio?

"Respondo em primeiro lugar que os homens que se divertem hoje em dia em fazer esse tipo de suposição, embora há mil oitocentos e dezessete anos elas não se tenham realizado, são muito ridículos ou muito culpados." (Joseph de Maistre, Du Pape)

Temos, portanto, diante de nós, também ela nítida e clara, a alternativa: ou Cristo, ou Bergoglio.

Ou Cristo mentiu, ou Bergoglio não é papa.

A bandeira da Fé é a última linha da batalha. Estamos diante de um ataque frontal à Verdade que custou a morte na Cruz do Filho de Deus para chegar até nós. Capturada a bandeira, não haverá mais o que combater, à Igreja de Cristo restará somente fechar as portas e a pergunta de Jesus sobre se ainda encontraria a Fé ao voltar receberá como resposta um sonoro Não.

Vale a pena tudo isso só para defender, contra toda a razão e toda a Fé, a validade da eleição de um óbvio picareta como Jorge Bergoglio?





terça-feira, 17 de março de 2015

Canal do Youtube com mestres desconhecidos da música clássica



Para os amantes da música, e em especial da música romântica, um canal genial do Youtube: UnsungMasterworks.

É dedicado a compositores cujas obras são pouco ou nada divulgadas, apesar de apresentarem um valor musical evidente.

Lá se podem encontrar excelentes execuções de obras de Zdenek Fibich, Richard Wetz, Joachim Raff, Louis Vierne, Franz Xaver Scharwenka, Sir Arnold Bax e muitos outros.

Vale a pena a exploração.

No vídeo acima, uma belíssima sinfonia do compositor alemão Richard Wetz, um discípulo do grande Anton Bruckner. Pelo menos para mim, uma grata descoberta.

Wall Street, o Vaticano e o lobby gay



Costumamos alertar os hipotéticos leitores deste blog de que a balela da luta contra a homofobia, longe de ser um combate "democrático" pelos "direitos humanos", é, na verdade, uma estratégia de Wall Street para controle das massas lobotomizadas e mundializadas. É um cavalo de Troia que serve para destruir as famílias e as tradições, derradeiros focos de resistência ao poder único, além de uma forma de controlar o crescimento populacional de setores indesejáveis da humanidade.

Aqui vai uma prova invencível do que digo:

Recentemente, um grupo de 379 das maiores empresas do mundo enviou um abaixo-assinado à Corte Suprema dos Estados Unidos, exigindo a legalização do casamento gay naquele país.

A lista completa pode ser lida aqui.

Entre elas, temos nada menos que Bloomberg, Coca Cola, Pepsi, Facebook, Apple, Google, eBay, Amazon, Procter & Gamble, United Airlines, Delta Airlines, Groupon, Hewlett-Packard, Microsoft, Twitter, Intel, General Electric, American Express, Visa, Bank of America, Chase, JPMorgan, HSBC, Deutsche Bank, Walt Disney, CBS, Pfizer, Johnson & Johnson, Dow Chemical, Glaxo, Colgate-Palmolive.

O time completo da esquerda revolucionária...

Enfim são revelados os nomes dos componentes desse setor particularmente indefeso da população ocidental que forma o lobby gay. 

Trata-se provavelmente da mais brutal imposição de uma ideologia pelo poder financeiro da história da humanidade. O que nossos brilhantes intelectuais de esquerda, com sua sagacidade habitual, não conseguem enxergar.

PS: Curiosamente, entre os signatários estão também, como lembra Sandro Magister, as consultorias financeiras KPMG, MxKinsey e Ernst & Young, a que o misericordioso papa dos pobres entregou o controle das finanças do Vaticano logo depois de eleito. Mas quem sou eu para julgar?

segunda-feira, 16 de março de 2015

Bergoglio nega a imortalidade da alma e defende uma heresia formal


Aconteceu na última entrevista a Scalfari, publicada ontem no La Repubblica, órgão semioficial do bilderbergoglismo (aqui):

Quem teve o dom de conhecer o papa Francisco sabe que o egoísmo é o inimigo mais perigoso para a nossa espécie. O animal é egoísta porque é presa só dos próprios instintos, cujo principal é o da própria sobrevivência. Mas o homem é animado também pela sociabilidade e, portanto, sente o amor pelos outros, pela sobrevivência da espécie a que pertence. Se o egoísmo supera e sufoca o amor pelos outros, ofusca a centelha divina que está dentro dele e ele se autocondena.
O que acontece a essa alma apagada? Será punida? E como?
A resposta de Francisco é nítida e clara: não há punição, mas a anulação daquela alma. Todas as outras participam da beatitude de viver na presença do Pai. As almas anuladas não fazem parte daquela festa, com a morte do corpo seu percurso acaba.

Não é preciso dizer mais nada. Daqui por diante, qualquer comentário é supérfluo.


Levy Fidelix condenado a pagar 1 milhão por dizer o que o lobby gay não quer ouvir



Onde fica a liberdade de expressão?

A essência do bergoglismo



Além do ódio à Igreja, o que mais caracteriza a heresia bergogliana e a distingue de todas as demais é a absoluta falta de seriedade.

É impossível levar Bergoglio a sério, intelectual, moral e espiritualmente.

Eis a tragédia. Ou a tragicomédia.

domingo, 15 de março de 2015

Bergoglio institui Jubileu da misericórdia em honra a si mesmo



Nota Antonio Socci em seu blog (aqui) que este é o primeiro Jubileu da história que não foi convocado para celebrar a Nosso Senhor Jesus Cristo, mas ao ego infinito de Jorge Bergoglio.

É a "francescomania", alimentada generosamente pela grande imprensa, porta-voz dos grandes impérios financeiros e industriais, para divinizar o papa dos pobres.

Note-se, além disso, que o início desse jubileu sui generis foi marcado para logo depois do fim do Sínodo contra a família.

Trata-se, é claro, de uma forma de exercer pressão sobre os bispos: como tomar partido contra a "misericórdia" nas vésperas de um Jubileu dedicado justamente à misericórdia?

Tudo é truque, tudo é manha, tudo é política, tudo é falso, tudo é mentira em Jorge Bergoglio.

Mas o pior é o silêncio ensurdecedor do "povo de Deus", que vê passivamente esse maluco destruir risonha e tranquilamente a Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Kyrie eleison, Christe eleison, Kyrie eleison.





sábado, 14 de março de 2015

Bergoglio: vou acabar com o celibato sacerdotal e os divorciados recasados podem comungar sem problemas



Segundo informa o Daily Mail (aqui), um velho amigo de infância de Jorge Bergoglio garante que o antipapa lhe confidenciou que vai acabar com o celibato sacerdotal, por ele chamado de "arcaico". Além disso, o tresloucado portenho teria liberado a comunhão a uma amiga divorciada e "casada" de novo, assegurando a ela que a comunhão dos divorciados é a prioridade número um de seu pontificado.

Das duas uma: ou voltamos ao "credo quia absurdum" de Tertuliano, ou temos que reconhecer, ainda que tarde (espero que não demais), que Bergoglio e seu pontificado não passam de uma grande farsa. A honestidade intelectual descarta todas as outras opções.


O ego infinito de Bergoglio


Num breve olhar lançado sobre a recente entrevista do antipapa Bergoglio à jornalista mexicana, coisas interessantes já podem ser observadas, com a ajuda do contador de palavras do Word.

Em toda a longa entrevista, Berggy não se refere nenhuma vez à Bíblia, à Cruz, à Trindade, à caridade, à Eucaristia, à doutrina, à castidade, à oração.

Em compensação, a palavra yo (eu) aparece nada menos que 114 vezes.


O impossível suicídio do antipapa



Em mais uma de suas escandalosas entrevistas, dada a uma jornalista mexicana, Bergoglio fez a seguinte piada sobre seus compatriotas argentinos:

Sabe como se suicidam os argentinos? Sobem no alto de seus egos e se atiram.

No caso de Jorjão, a queda seria infinita.

sexta-feira, 13 de março de 2015

Aniversário da "eleição" de Bergoglio: dia de penitência, jejum e abstinência



13 de março, data sombria entre todas.

Pedimos a todos os leitores que dediquem este dia tenebroso à penitência, ao jejum e à abstinência, rogando a Deus que cure a sua Igreja deste câncer mortal no que deveria ser sua cabeça terrena, mas já com tantas metástases avançadas em tantos de seu membros.

Kyrie eleison, Christe eleison, Kyrie eleison.

quinta-feira, 12 de março de 2015

A diferença entre um papa e um antipapa



Momentos de emoção e espiritualidade: Bento XVI, em seu último Angelus à janela da praça de São Pedro - pelo menos por enquanto. Esperamos sinceramente que não, e que muitos outros voltem a acontecer.



Jorjão, o antipapa, transforma o Vaticano numa enorme gafieira. Momentos de boçalidade e baixaria.

O céu e o inferno.

quarta-feira, 11 de março de 2015

Ex-presidente do IOR arrasa Walter Kasper

Ettore Gotti Tedeschi

Excelente artigo de Ettore Gotti Tedeschi, ex-presidente do IOR, em La Bussola Quotidiana (aqui).

Nele, o economista italiano arrasa o heresiarca alemão Walter Kasper, que, em entrevista ao jornal La Repubblica, porta-voz semioficial do bilderbergoglismo, afirmou: "Chega de escândalos, agora a Igreja não tem mais medo da transparência". Note-se a perversidade do agora e do mais, bem típica do esgoto moral onde chafurda o Vaticano.

Gotti Tedeschi lembra no artigo as duríssimas diretrizes impostas por Bento XVI ao funcionamento do IOR, o que desmonta a covarde insinuação de Kasper sobre a falta de transparência de seu pontificado.

Mas o melhor é o final. Num genial paralelo entre a separação entre doutrina e pastoral, por um lado, e entre as normas e a prática financeiras, por outro, Gotti mostra que a proposta kasperiana de liberação da comunhão para os adúlteros equivale exatamente à permissividade bancária condenada por Bento XVI em seus esforços para moralizar as finanças vaticanas.

Um dos mais elegantes e fulminantes nocautes que já presenciei.

terça-feira, 10 de março de 2015

: Religión Digital: Zoológico pós-conciliar


Recomendo a todos, quando tiverem tempo, visitarem o site espanhol Religión Digital. É um divertido e instrutivo passeio pelo zoológico das heresias pós-conciliares. Tudo o que a teratologia teológica criou de mais bizarro e macabro lá se encontra. Temos todo tipo de fóssil da teologia da libertação, o catolicismo anal do lobby gay clerical, o bilderbergoglismo em suas múltiplas facetas, a defesa da liturgia do bingo e do parabéns a você, variadas e multicoloridas espécies de molinismo e pelagianismo etc. etc.

Um museu de horrores. Mas um passeio instrutivo, desde que se levem máscara contra o fedor e saquinhos de plástico para eventuais acessos de náusea.

domingo, 8 de março de 2015

Dicas bergoglianas para a crise econômica

Animada rave da juventude bergogliana

A crise está aí e é bem provável que as coisas vão ficar ainda mais pretas, principalmente para nós, católicos, que não temos o bilderbergogliano amparo dos grandes deste mundo.
Aqui vai, então, uma dica para ajudar a sobreviver nestes tristes tempos.
Um amigo meu tem faturado uma boa grana. Ele fica de tocaia na internet atrás dos encontros de jovens bergoglianos patrocinados pela CNBB e outras organizações anticatólicas.
Quando localiza alguma, ele corre até lá para vender fraldas geriátricas. É um sucesso estrondoso, ele já está até pensando em comprar um iate.
Fica a dica.

Pintor oficial de Mao Tsé Tung agora é o retratista oficial de Bergoglio


O picareta é o autor daqueles horrorosos posters em estilo de embalagem de Maizena que mostravam o carniceiro e devasso Mao Tsé Tung como um semideus ante as massas embasbacadas de chineses lobotomizados. Agora, trocou de semideus: converteu-se ao bergoglismo e hoje é o retratista oficial do Vaticano. É o que noticia o portal anticatólico espanhol Religión Digital (aqui).

O nome da fera é Shen Jiawei.

Não há como negar que o homem tem um raro faro para escolher os seus fregueses entre os grandes inimigos da Igreja.

Mesmo assim, este blog não vê a hora de poder contemplar o retrato maoísta do nosso elegante Braz de Elvis, com peruquinha e tudo. Sugerimos até que seja feita toda uma série de retratos, cada um com uma peruquinha diferente, para mostrar as diversas facetas do bergoglismo.

Vai ser um luxo!

Bergoglio, um tiro no pé


Bergoglio passou os dois anos de seu governo vaticano empenhado em ridicularizar a Igreja e em avacalhar a Fé católica, por ele acusada de farisaica e não misericordiosa.

Mas, se todos os dogmas podem ser pisoteados e jogados no lixo misericordioso do bergoglismo, porque se salvariam os dogmas do primado de Pedro e da necessária obediência ao seu sucessor?

Ápoiar Bergoglio é dar um tiro no pé da própria Fé. Há uma contradição interna no bergoglismo, que o torna existencialmente impraticável.

É impossível ser bergogliano e ter uma fé intelectualmente honesta.



sábado, 7 de março de 2015

São Bellarmino, Francisco Suárez e a heresia papal


Interessante artigo de Jacob W. Wood, em Crisis Magazine (aqui), traduzido para o francês em Benoît et moi (aqui), sobre a heresia papal segundo os grandes teólogos jesuítas São Bellarmino e Francisco Suárez, e as aporias que daí decorrem.

Toda essa confusão some - pluft - no ar quando se considera a irregularidade da deposição do papa Bento XVI e da eleição de Jorge Bergoglio.

Não há papa herético nenhum. Os papas são protegidos da heresia pelo Espírito Santo. O que há é um falso papa herético, que pode ser herético - como de fato, inegavelmente, o é - justamente por não ser papa.

A navalha de Ockam tem 1001 utilidades.

quarta-feira, 4 de março de 2015

Esquerda e direita ou em cima e embaixo?

A clássica divisão entre esquerda e direita imperou unânime e inconteste na análise político-cultural até pelo menos a década de 30, e se prolongou um pouco aos trancos e barrancos até a queda do muro de Berlim. Hoje, porém, faz água por todos os lados. É absolutamente impraticável usar este velho esquema para analisar situações como as da Ucrânia, da chamada primavera Árabe ou até mesmo, no plano interno brasileiro, entre a grande mídia e o governo do PT.

Por quê?

A divisão esquerda-direita supunha uma situação político-cultural de certo equilíbrio: esquerda e direita estavam no mesmo plano, não havia um desequilíbrio de forças decisivo entre elas. Cada uma tinha seus trunfos e suas fraquezas. Não é mais o caso hoje. Hoje, pelo menos no Ocidente, não temos uma divisão de potências e poderes, mas um único poder soberano que procura caçar os poucos focos de resistência que ainda lhe escapam, sejam eles, segundo a velha divisão, de esquerda ou de direita.

Se se insistir em usar hoje uma metáfora espacial para descrever as lutas políticas do momento, seria muito mais útil e esclarecedor usar o par alto-baixo do que esquerda-direita. Há hoje as forças que estão (muito) por cima e as que estão (muito) por baixo.

O que implica estratégias completamente diferentes. Hoje, o que importa é salvar o essencial, sobreviver, muito mais do que buscar o conflito aberto.

terça-feira, 3 de março de 2015

Diálogo e magistério


Como não nos cansamos de repetir, uma Igreja sem Tradição é contradição e está fadada ao nada, como vemos hoje diante de nossos pasmos olhos.
O que não significa que não haja setores da Tradição que não cometam certos exageros no ataque à Igreja conciliar como um todo.
E o caso da crítica ao "diálogo", estandarte conciliar. Dizem que a Fé deve ser ensinada, e não submetida ao diálogo. O que supõe que o diálogo não esteja voltado para o ensino, como sabemos, pelo menos desde Sócrates, não ser o caso. E desde Sócrates também sabemos que quase sempre os diálogos têm um vencedor, e não apontam para a igualdade de todas as teses. Muito pelo contrário.
Na verdade, o verdadeiro oposto do diálogo não é o magistério, mas a Grande Avacalhação bergogliana, que justamente não admite o confronto das teses e supõe a priori que sejam todas iguais.
O que propõe a Grande Avacalhação não é o autêntico diálogo, mas a convivência dos surdos-mudos sob a batuta dos donos dos microfones.

segunda-feira, 2 de março de 2015

domingo, 1 de março de 2015

Ave Crux, spes unica (eruditorum)


O que raríssimos ateus percebem é que a Cruz é, ao mesmo tempo, a melhor resposta à pergunta ontológica (por que o ser e não, antes, o nada?)  e a melhor explicação sobre a existência do mal.

Cruz? Que Cruz?


Como diria Claudel, nada indica que um Deus morreu na Cruz por nossos pecados.

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Bill Gates não existe


Computador Windows adolescente, muito esperto, caçoa dos coleguinhas que ainda acreditam que Bill Gates exista.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Bispos ucranianos em visita ad limina ao Santo Padre, o Papa Bento XVI


Quatro dias atrás, 21 de fevereiro de 2015.
Enquanto isso, na praça São Pedro, Jorjão posava para fotos com a camisa do União Capivariense.

domingo, 22 de fevereiro de 2015

Universidade e Tradição

Heidelberg

Para entender  monstruosidades como a teologia de Walter Kasper, típico professor universitário, é preciso compreender a profunda contradição existente entre a doutrina católica e o academicismo contemporâneo. Se a carreira universitária vive de gerar novidades, para a Igreja a novidade doutrinal sempre foi um perigoso vício. O que é essencial para uma, é defeito para outra.

O academicismo é filho da Revolução, a doutrina católica é custódia da Tradição: na transmissão do dado revelado, toda novidade é ruído.

sábado, 21 de fevereiro de 2015

E depois do cisma?


E depois do cisma, como vai ficar?

Do lado dos católicos, certamente muita perseguição, pouco prestígio. Como previsto pelo Papa Bento XVI, uma Igreja modesta, mas, queira Deus, cheia de Fé.

Da parte dos bergoglianos, uma papisa lésbica para breve. Depois, uma ong qualquer, preocupada com a extinção de papagaios e minhocas e com a distribuição de preservativos no carnaval.