Pesquisar este blog

Carregando...

sábado, 25 de julho de 2015

Oficial: antipapa apoia teoria do gênero


Preto no branco.

Em documento promovido e assinado pelo antipapa, conjuntamente com 70 prefeitos de grandes cidades do mundo inteiro (aqui), o Vaticano declara defender políticas de gender equality, igualdade de gêneros.

Ou seja, para Berggy and His Berggyboys, tanto faz ser heterossexual ou homossexual, travesti ou "transgender", está tudo valendo e tudo é festa.

Ou seja, todo o ensinamento do Filho de Deus em matéria de sexualidade, que Lhe custou a Paixão e a morte na Cruz, não passava de bobagens criptolefebvrianas, hoje finalmente corrigidas por nosso querido antipapa e seus capangas, com ou sem peruquinha.

Ou seja, ou Berggy é realmente papa, e então tudo o que a Igreja ensinou desde os Apóstolos está absolutamente errado, ou Berggy não passa de mais um picareta na longa série de antipapas que tem assolado a Igreja desde os primeiros séculos.

Escolham.

Berggy reivindica o título de bispo de Roma. Com a declaração sobre o gender, o máximo que pode pretender, com justiça, é o título de bispo de Rodoma, a Roma bergogliana sodomizada.

sexta-feira, 24 de julho de 2015

Heresia bergogliana versus Doutrina católica



Para deixar bem claro por que afirmamos insistentemente que Bergoglio é herege, aqui vão, postas frente à frente, as duas teses contraditórias acerca do destino das almas que morrem em estado de pecado grave.

a) A posição de Bergoglio, tal como difundida por um dos maiores jornais da Europa e jamais desmentida ou sequer matizada, 131 dias passados, apesar dos insistentes apelos no sentido de um esclarecimento:

Quem teve a oportunidade de conhecer o papa Francisco sabe que o egoísmo é o inimigo mais perigoso para a nossa espécie. O animal é egoísta porque é presa somente dos seus próprios instintos, o principal dos quais é o da sua própria sobrevivência. Mas o homem é animado também pela sociabilidade e, portanto, sente amor pelos outros, pela sobrevivência da espécie a que pertence. Se o egoísmo vence e sufoca o amor pelos outros, ofusca a centelha divina que está dentro dele e se autocondena.
O que acontece com essa alma apagada? Será punida? E como?
A resposta de Francisco é nítida e clara: não há punição, mas a aniquilação dessa alma. Todas as outras participam da beatitude de viver na presença do Pai. As almas aniquiladas não fazem parte desse banquete, com a morte do corpo o seu percurso acabou e esta é a motivação da Igreja missionária: salvar os perdidos.
(Entrevista a Eugenio Scalfari, em La Reppublica, 15 de março de 2015)

b) A Doutrina da Igreja, definida solene e infalivelmente:

Diffinimus insuper, quod secundum Dei ordenationem communem animae decedentium in actuali peccato mortali mox post mortem suam ad inferna descendunt, ubi poenas infernalibus cruciantur.

[Definimos, ademais, que, segundo a comum ordenação de Deus, as almas dos que saem do mundo com pecado mortal atual, imediatamente depois da morte baixam ao inferno, onde são atormentados com penas infernais.]

(Bento XII, Constituição Benedictus Dei, 20 de dezembro de 1334, D1002)

Note-se que as entrevistas de Eugenio Scalfari gozam de um estatuto privilegiado junto a Bergoglio; duas delas já foram publicadas pela editoria oficial do Vaticano, com o selo de garantia da assinatura do próprio antipapa. Além disso, o fato de, passados 4 meses,  não terem sido jamais desmentidas as palavras de Berggy, dá a elas a chancela da autenticidade. Ou seja, trata-se de uma heresia formal.

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Aceitar Bergoglio como papa é ocasião próxima de pecado de heresia


Com a negação da punição eterna do pecador proclamada por Bergoglio, crer que ele seja papa é ocasião próxima de heresia.

Já pude comprovar várias vezes a veracidade dessa asserção. Padres que se esticam todos para defender o indefensável procuram justificar a tese bergogliana de que a alma dos pecadores graves morre juntamente com o corpo, o que transforma de imediato esses sacerdotes em hereges, para perdição de suas próprias almas e escândalo dos fiéis.

O problema é o conflito insuperável entre a Fé católica e obediência devida ao suposto sucessor herético de Pedro.

Mas quem se importa com isso na Igreja de hoje?

quarta-feira, 22 de julho de 2015

O que é um antipapa e quais foram os predecessores de Bergoglio na história da Igreja


Para deixar claro o significado da palavra antipapa e mostrar como o advento irregular de picaretas às funções pontifícias está longe de ser raro, aqui vai a tradução do verbete antipope da Catholic Encyclopaedia e do verbete Antipapa da Enciclopedia Cattolica italiana:

A) Catholic Encyclopaedia:

Antipapa: Um falso demandante da Santa Sé, em oposição ao pontífice canonicamente eleito. Em diversas ocasiões na história da Igreja, surgiram pretendentes ilegítimos à Cátedra Papal, e com frequência exerceram funções pontifícias, em contraposição ao verdadeiro ocupante. Hergenröther enumera trinta deles, na seguinte ordem:


B) Enciclopedia Cattolica

Antipapa: Com a palavra antipapa se costuma indicar um pretendente ao papado, apoiado por um grupo significativo e quase sempre em contraste com um papa reinante, cuja eleição seja posteriormente declarada nula pela Igreja Católica.
História:
O primeiro antipapa foi Hipólito, eleito em protesto contra Calisto I por um grupo cismático de Roma no século III. Hipólito, porém, terminou a vida no exílio, nas minas da Sardenha, durante as perseguições imperiais romanas, em companhia do sucessor de Calisto, Ponciano, com quem se reconciliou antes de morrer.

Em seguida, o período da luta pelas investiduras coincidiu com a eleição de numerosos antipapas defendidos pela facção imperial.
Entre o fim do século XIV e o começo do XV houve várias eleições de uma série de papas rivais, com o consequente surgimento de várias linhas de sucessão. Uma delas foi reconhecida como oficial pela Igreja Católica, enquanto os eleitos pertencentes às outras foram declarados antipapas. O escândalo dos pretendentes múltiplos somou-se às outras reivindicações de reforma que levaram ao protestantismo no começo do século XVI.
Convém ressaltar que não era necessariamente evidente, nos períodos em que existiam dois (ou mais) pretendentes rivais, qual era o antipapa e qual o papa, e as distinções nítidas feitas entre eles retrospectivamente podem dar uma falsa ideia de que existisse certeza entre os contemporâneos. Os defensores apoiavam certo candidato, mas não podiam saber qual seria definido antipapa ou papa, até a conclusão dos acontecimentos.
Desde 1499 não houve mais antipapas, a menos que se considere o fenômeno dos sedevacantistas. Outros cismas, como o da igreja anglicana, são controlados por soberanos laicos que não querem ter um rival eclesiástico, ou rejeitam um dogma principal do papado, como no caso da Igreja dos Velhos Católicos ou da Associação patriótica católica chinesa.
Muitas vezes aconteceu de algumas figuras menores de antipapas modernos assumirem o nome de Pedro II, provavelmente em referência à profecia de Malaquias. Hoje, o ato de tornar-se antipapa é considerado um ato cismático da Igreja Católica Romana, e provoca uma excomunhão imediata da pessoa que se torna antipapa.


[segue-se uma lista de antipapas]

Como se pode ver, é muito mais comum na história da Igreja encontrar um penetra que ocupe temporariamente a cátedra petrina do que um verdadeiro papa que proclame heresias urbi et orbi, sob o aplauso dos cardeais e suas peruquinhas. O placar é 30 a 0. Ou melhor, 31 a 0.

sábado, 18 de julho de 2015

O antipapa e o dogma


A pergunta séria, hoje, não é se o antipapa é ou não herege, mas se há algum dogma de fé da Igreja em que ele ainda creia.
Eu, particularmente, acho que não.
Mesmo porque o crer supõe um mínimo de seriedade, algo que falta completamente no Vaticano hoje.

terça-feira, 14 de julho de 2015

Definitivo: Antipapa elogia o crucifixo blasfematório boliviano e abre as portas a todo tipo de arte sacrílega

Para terminar com a bobajada neoconservadora de sempre, para a qual o bom papa Francisco é invariavelmente enganado pelos malvados que o manipulam, um artigo de Benoît e moi que encerra todas as dúvidas.

1) O antipapa sabia que a cruz sacrílega lhe seria entregue, pois já desde fins de junho um decreto do Senado boliviano o determinara;

2) O papa não se desfez da cruz/foice-e-martelo, mas a levou consigo para o Vaticano: "Para mim, não era uma ofensa. Entreguei à virgem de Copacabana as duas distinções honoríficas que o presidente me deu, mas o Cristo eu o trago comigo."

3) Ele defendeu pessoalmente o objeto sacrílego. Eis aqui as suas palavras:

"Para mim, foi uma surpresa (kkk) e creio que podemos qualificá-lo como um tipo de arte de protesto. Por exemplo, em Buenos Aires, há alguns anos, houve uma exposição de um bom escultor argentino, criativo, que desenhou um Cristo crucificado sobre um bombardeiro que caía, para indicar o cristianismo [!!] aliado ao imperialismo que bombardeia. (...) Em alguns casos, a arte de protesto pode até ser ofensiva. [O padre Espinal, autor da geringonça, morreu] na época em que a TL fazia uma análise marxista da realidade e o jesuíta estava entusiasmado por essa análise."

Ou seja, por essa análise, as portas estão abertas para todo tipo de arte sacrílega. Se o cristianismo (sic) se aliou aos imperialismos, porque impedir que o crucificado seja exposto em garrafas cheias de urina, como recentemente numa exposição organizada e financiada pelo governo francês? Por que não dar patrocínio vaticano a elas? É a pergunta que fica.

A flor do pós-Concílio


Gentem,

Olhem bem para a foto acima, leiam o que vou escrever abaixo e depois me respondam.

Há muitos anos, os criptolefebvrianos não nos deixam em paz. Não param de falar que está tudo um desastre, que depois do Concílio as ordens religiosas entraram em colapso, seminários se fecharam às centenas, a apostasia ganhou proporções pandêmicas, a liturgia e a teologia se corromperam, a moral dos fiéis e do clero vem batendo recordes de ignomínia etc. etc.

E desafiam: apontem uma única conquista do pós-Concílio!

Pois bem, agora, meu amigo, minha amiga, você que contemplou com atenção e admiração a foto acima, pode responder de peito aberto:

- A peruquinha de Dom Braz de Elvis!

Eis aí a flor do pós-Concílio, a síntese das avacalhações somadas de todos os Kaspers, Bettos, Boffs, Arns, CNBBs e Bergoglios! A quintessência de todos os hospitais de campanha, de todos os parabéns-a-você durante a missa, de toda a Grande Avacalhação pós-conciliar da Fé católica!

Chorem, criptolefebvrianos, e respondam agora vocês: existe em toda a triste história da Igreja de Cristo, de que nos envergonhamos e pela qual não paramos de pedir desculpas, alguma coisa mais fofa do que essa peruquinha? Hein?

domingo, 12 de julho de 2015

Qual o mais deprimente


Um antipapa cuja única e incansável atividade é avacalhar a Igreja e a Fé em tempo integral; um colégio de cardeais cuja única reação a isso é o silêncio, o  aplauso ou as peruquinhas; bispos e cardeais "conservadores", que posam como defensores da Fé, mas pontuam suas declarações pseudo-corajosas com os mais abjetos elogios ao "Santo Padre Francisco": não sei o que é mais deprimente.

Fora Bergoglio!

sexta-feira, 10 de julho de 2015

As razões do óbvio: Bergoglio não é papa



Percorrendo os blogs católicos tradicionais, o panorama que se apresenta é desolador.
Diante das heresias, das peruquinhas, da boçalidade e das foices-e-martelos do atual pontificado, a reação dos mais sólidos e experimentados fiéis é de vertigem, desespero, desorientação.
Seria cômico, se não fosse tão trágico.
Pois esses católicos se recusam a ver o óbvio ululante: Bergoglio não é papa!
Quando se tem isso em mente, o que parece ser o fim dos tempos logo se transforma numa paisagem, senão agradável, pelo menos bem mais iluminada e racional.
Em vez de um papa herege, sem Fé, inimigo da Igreja e de seus ensinamentos, único em toda a história da Igreja, temos a figura muito mais prosaica e banal de mais um antipapa, entre muitos outros.
Em vez de considerar que Nosso Senhor Jesus Cristo teria mentido ao fazer sua solene promessa a Pedro e seus sucessores, constatar que estamos diante apenas de mais um picareta que consegue enganar por algum tempo boa parte da Igreja.
E sobram as razões para afirmar a nulidade da eleição do energúmeno peronista.
Diz o Direito Canônico claramente que a renúncia de um papa só é legítima quando feita livremente, sem pressões. Ora, é ridículo dizer que Bento XVI não sofria pressões no momento da pseudo-renúncia, com Vatileaks, escândalos diários na mídia, lobby gay, ameaças de cisma etc. O mesmo Papa Ratzinger afirmou em entrevista publicada em livro um ano antes da renúncia que não poderia renunciar justamente por isso, porque a renúncia teria de ser livre, o que não era o caso no ambiente em que se achava!
Como se não bastasse, a Providência divina tornou a invalidade da eleição de Bergoglio ainda mais clara, com as irregularidades de procedimento na votação que levou à falsa eleição pontifical. Para prová-lo, aí está o livro de Antonio Socci, que até hoje não recebeu nenhuma resposta  digna de crédito.
Ou seja, esses católicos desesperados preferem torturar-se, pôr sua fé em risco só por teimosia e ignorância. Preferem ver abalar-se os fundamentos da Igreja para defender uma eleição claramente irregular e indefensável. Preferem aceitar a monstruosidade teológica de um papa herege formal, que publica nos grandes jornais sua falta de fé e suas enormes heresias,  a enxergar o evidente:

BERGOGLIO NÃO É PAPA ! NÃO PASSA DE MAIS UM ANTIPAPA NA HISTÓRIA DA IGREJA.

Basta ter isso em mente, que tudo volta aos eixos. Jesus Cristo não mente, papas não atacam ordens religiosas de fé exemplar, não proclamam heresias pelos jornais, não homenageiam serial killers de bebês em escala industrial que fariam Herodes parecer um reles batedor de carteiras, não pedem aos muçulmanos que continuem a ser muçulmanos e negadores da divindade de Cristo etc. etc., assim como não são possíveis dois papas ao mesmo tempo no Vaticano etc. etc.

Ou seja, a Fé católica continua possível e resplandecente como sempre.

Alguns alegam que o católico deve assumir uma atitude "prudencial" de obediência ao antipapa até que a autoridade eclesial se pronuncie sobre o caso. Pergunto: a mesma atitude prudencial que exigiria a ativa colaboração no assassinato do Verbo sobre a Cruz porque ordenado pelo Sinédrio?
E, sinceramente, se formos esperar que os altos prelados do bergoglismo encontrem tempo para examinar a nulidade do pontificado em meio aos ensaios coreográficos para suas dancinhas coletivas e aos cansativos cuidados exigidos pelas suas coleções de elegantes peruquinhas, será melhor puxar uma cadeira e esperar sentados. Basta ver o caso da declaração urbi et orbi de que os pecadores impenitentes não vão para o inferno, mas têm suas almas imortais aniquiladas, heresia mais clara do que o sol. Já se passaram 4 meses desde que foi publicada num dos maiores jornais da Europa e reproduzida milhões de vezes na blogosfera, e ela continua sem desmentido e sem explicação da parte de Berggy e seus Berggyboys vaticanos, o que a transforma numa heresia formal.

Está mais do que na hora de fechar esse parêntese grotesco na bimilenar história do Corpo de Cristo, esse intermezzo circense regado a tango, peruquinhas e Elvis, e voltar à Fé da Igreja na vida dos Sacramentos.

Fora Bergoglio!

quinta-feira, 9 de julho de 2015

O antipapa, a foice e o martelo e o Crucificado


Berggy and his Berggyboys, com ou sem peruquinha, agora em turnê pela América do Sul, levando aos hermanos o seu Big Time show de avacalhação da Fé católica.
Na foto, o antipapa recebe de Evo Morales, com um belo sorriso, pouco depois de saborear um chá de folhas de coca, a imagem do Crucificado sobre a foice e o martelo.
Se sob a foice e o martelo foram assassinados dezenas de milhões de cristãos, agora resta a Berggy and his Berggyboys terminar o trabalho, avacalhando de vez a Fé transmitida pelo Verbo aos Apóstolos, ao preço do seu sangue. O que está sendo feito com precisão exemplar.
Bom trabalho, Berggy!

PS: Após a difusão do escândalo, os bombeiros neoconservadores logo saíram em defesa do antipapa, como sói, dizendo que ele não gostou do presente e teria até balbuciado uma reclamação ao receber a geringonça sacrílega da mão do cocainômano presidente.
Mas (1) se é que houve mesmo a tal timidíssima reclamação, inaudível em todos os vídeos, ela foi logo seguida pelo sorriso obsequioso que vemos na foto acima; (2) a concepção dessa medonha agressão à Fé foi de um jesuíta executado pelas Forças Armadas bolivianas, cujo túmulo recebeu as homenagens do antipapa antes de se encontrar com o cocainômano. Berggy, portanto, sabia muito bem em que se estava metendo; (3) de qualquer forma, portanto, o antipapa aceitou esse ultraje público à pessoa do Nosso Salvador; (4) o que fica ainda mais claro lendo a defesa do blasfemo crucifixo feita pelo porta-voz oficial do antipapa, pe. Lombardi..



PS2: O antipapa não só aceitou o presente sacrílego de Evo Morales e uma condecoração com o mesmo símbolo, como dedicou tal condecoração à Santíssima Virgem, com palavras de elogio ao governo que a ofereceu "como símbolo de carinho e proximidade" (aqui). Á bofetada em Cristo não podia faltar a bofetada em sua Santíssima Mãe.

domingo, 5 de julho de 2015

Bergoglio, Goldman Sachs, Maçonaria, etc.


Dois artigos em benoît et moi que reforçam o que este blog já vem falando há muito sobre as estreitas relações do antipapa com a máfia financeira mundial. É o que chamamos de bilderbergoglismo.

Para os mais distraídos, o bilderbergoglismo é a união do nome do antipapa com o do grupo Bilderberg, organização hipermaçônica que congrega todo o lixo do mundo: alta finança, políticos, mainstream media, CEOs das maiores multinacionais, lobby gay e pró-aborto etc., ou seja, coincidentemente, todos os ultrapoderosos amiguinhos de Berggy, que lhe garantem o amplo apoio na mídia que sempre faltou ao Papa Bento XVI. Mais coincidências.

No primeiro dos artigos (aqui), são analisadas as ótimas relações de Berggy com Peter Sutherland, nada menos que presidente do banco Goldman Sachs, uma das mais asquerosas instituições financeiras da galáxia. O abnegado Sutherland, por puro idealismo, tem-se empenhado em financiar o transporte para a Itália de hordas de muçulmanos miseráveis, sob o aplauso de Berggy. Nada melhor para destruir pela raiz o que 100 anos atrás era o núcleo da Cristandade.

No segundo artigo (aqui), o objeto é a relação da igreja valdense com a maçonaria. Aquela mesma igreja à qual o antipapa pediu desculpas recentemente pela crueldade católica. O artigo mostra a intensa colaboração dessa igreja com a maçonaria, inclusive em episódios sangrentos da história da Igreja, sem, é claro, nem sombra de um pedido de desculpas por isso. Ou seja, ao pedir desculpas aos valdenses, o rotariano Berggy está ipso facto pedindo desculpas à sua amada maçonaria.

É o bilderbergoglismo a todo vapor. Berggy, os grandes bancos e as "elites" secretas unidos na opção preferencial pelos pobres.

Tudo é festa.

sábado, 4 de julho de 2015

Homenagem ao Papa Bento XVI: 10 interpretações do opus 111 de Beethoven

Em homenagem ao beethoveniano Papa Bento XVI, cujo pontificado ativo tanta falta faz à Igreja, uma seleção de grandes interpretações da sonata 111, um dos pontos altos da história da arte.

Como declarou recentemente o Santo Padre ao receber mais um doutorado honoris causa, a música ocidental ocupa um lugar à parte na história da humanidade:

No quadro das culturas e das religiões mais variadas, existe uma grande literatura, uma grande arquitetura, uma grande pintura e grandes esculturas. E em toda parte, também há música. E, no entanto, em nenhuma cultura existe uma música de grandeza comparável à nascida no contexto da fé cristã de Palestrina a Bach, Handel, até Mozart, Beethoven e Bruckner. A música ocidental é algo de único, que não tem igual em outras culturas. Isso nos deveria fazer refletir.
A música ocidental, é claro, vai muito além do terreno da religião e da Igreja. E, no entanto, ela sempre encontra a sua fonte mais profunda na liturgia, no encontro com Deus. Em Bach, para o qual a glória de Deus é o fim derradeiro de toda a música, isso é totalmente evidente. A resposta grande e pura da música ocidental desenvolveu-se no encontro com esse Deus que, na liturgia, se torna presente para nós em Cristo Jesus. Essa música, para mim, é uma demonstração da verdade do Cristianismo. Ali onde se desenvolve tal resposta se realizou o encontro com a verdade, com o verdadeiro criador do mundo. Por esta razão, a grande música sacra é uma realidade de nível teológico e de significação permanente para a fé de toda Cristandade, ainda que não seja absolutamente necessário que ela seja executada sempre e em toda parte. Por outro lado, no entanto, é igualmente claro que ela não pode desaparecer da liturgia e que sua presença pode ser um modo totalmente especial de participação na celebração sagrada, no mistério da Fé.

(Fonte: benoît et moi; o texto integral do belo discurso papal pode ser lido aqui)

Aqui vão dez interpretações desta última sonata de Beethoven que, nas suas variações finais, parece receber já os primeiros raios da Luz Eterna.

Claudio Arrau



Daniel Barenboim



Arturo Benedetti Michelangeli




Maurizio Pollini




Daniil Trifonov



Anatoly Vedernikov



Wilhelm Kempff



Ivo Pogorelich



Wilhelm Backhaus



Yeol Eum Son

O antipapa e a Verdade


Como previmos, o antipapa deu meia-volta e desistiu de condenar as falsas aparições de Medjugorje.
Isso porque a última preocupação de Berggy e seu Berggyboys Vaticanos é com a verdade. A última, mas a última mesmo!
É muito deprimente ver a Igreja de Cristo, que é a Verdade encarnada, de quatro ante a mentira, em nome da "pastoral". Tudo pelo ibope, nada contra o ibope! Como se o primeiro dever do pastor não fosse defender as ovelhas justamente da mentira.
Iam fetet.

sexta-feira, 3 de julho de 2015

Existe seriedade na Igreja Católica de hoje?



Há 110 dias, declarava o antipapa, urbi et orbi, num dos maiores jornais da Europa, que os pecadores não vão para o inferno e que a alma não é imortal, duas asquerosas heresias.

Interpelado por um sem número de fiéis, o Vaticano não deu explicações.

O mesmo silêncio da parte dos cardeais - de todos os cardeais -, que, no entanto, vestem a púrpura em sinal de que estariam dispostos a dar o sangue pela Fé, a mesma Fé pisoteada pela declaração do antipapa.

Incrivelmente, o mesmo silêncio da parte até da Fraternidade São Pio X,  com toda a panca de grande defensora da Fé mais ortodoxa.

A pergunta vertiginosa que fica é: existe seriedade ainda na Igreja Católica?

domingo, 28 de junho de 2015

A primeira comunhão de Marilena Chauí



Parece que Marilena Chauí se converteu ao elvis-bergoglismo e andou não só comungando, mas servindo-se a si mesma na mesa do bandejão eucarístico pós-pós-conciliar de Itaquera (aqui).

No vídeo acima, a spinoziana neocomungante explica, em angelical estado de graça, a concepção bilderbergogliana da essência da religião que a fez converter-se:

"A religião ataca com aquilo que é próprio da religião: o ódio ao outro."

Deixando de lado o habitual analfabetismo teológico, próprio da filosofia uspiana, demonstrado nas palavras da professora, é preciso convir que, para um discurso de primeira comunhão, elas pelo menos são originais.

Chauí começa falando da cura gay, salta para o moralismo burguês, passa para a racionalidade científica, pula para a "pura transcendência" de Deus (e a Encarnação do Logos, esse pequeno detalhe do Cristianismo? o gato comeu?), dá uma cambalhota para definir, à la M. Homais, o religioso pelo ódio, volta tropeçando para uma ciência intimidada, para acabar mui beatamente comungando no self-service itaquerano.

Haja coerência.

Mas, pensando bem, para comunhão sacrílega, comungante blasfema. Tá certo eles.



sexta-feira, 26 de junho de 2015

Parce nobis, Jesu!

Berggy explica aos recém casados a indissolubilidade do matrimônio

A lamentável moda começou com João Paulo II, teve uma pausa com Bento XVI, para chegar com o antipapa à sua apoteose.
É Berggy ajoelhando-se diante de pastor pentecostal (mas não, é claro, de Nosso Salvador na Hóstia Consagrada), inclinando-se diante de hereges e pedindo a bênção a eles, pedindo desculpas a todos os inimigos de Cristo pela existência de sua odiada Igreja Católica. Palhaçada geral.
E já que de pedir desculpas se trata, acho que chegou a hora de pedir realmente desculpas.
Pedir desculpas ao mundo pelo ridículo espetáculo desse antipapa blasfemo, despreparado, ignorante e herege, infinitamente arrogante na sua pretensão de corrigir o Espírito Santo e a Fé da Igreja, pela ânsia de ganhar o prêmio Nobel da Paz concedido pelos arquipodres protestantes escandinavos.
Pedir desculpas pelos nossos pornográficos cardeais de peruquinha, que desonram a púrpura que vestem, assistem passivamente à devastação elvis-bergogliana da Igreja sem dizer palavra, quando não aplaudem as  heresias e os gestos blasfemos daquele que irresponsavelmente teriam eleito, se a eleição pudesse ter sido válida, o que graças a Deus não é o caso.
E principalmente pedir perdão a Deus por nossos pecados e por nossa miséria espiritual, refletida fielmente no espelho que é a igreja bilderbergogliana, com suas peruquinhas, heresias e coreografias efeminadas e grotescas.

Jesu, Pater futuri saeculi, miserere nobis!


quinta-feira, 25 de junho de 2015

Joseph de Maistre e o (anti)papa herege


Já duzentos anos atrás o velho Joseph de Maistre respondia àqueles que acreditavam na possibilidade de um Bergoglio papa, ou seja, de um papa herege e inimigo furioso da Igreja e da Fé de Cristo:

Mas, dirão alguns, talvez, segundo os contendores modernos, se o Papa se tornar herege, furioso, destruidor dos direitos da Igreja etc., qual será o remédio?
Respondo (...) que os homens que se divertem em fazer hoje esse tipo de suposição, embora durante mil oitocentos e dezessete anos elas jamais se tenham realizado, são muito ridículos ou muito culpados.
(Du Pape, ed. Vitte. p. 22)

Sábias palavras. Só que o caso hoje é ainda pior, pois vemos que Berggy faz tudo isso sob os aplausos dos cardeais e de suas peruquinhas. Não é só ridículo chamar Jorge Bergogluio de vigário de Cristo na terra: é pura blasfêmia.

terça-feira, 23 de junho de 2015

O pedido de perdão final do antipapa


Nosso querido antipapa visitou estes dias oficialmente a sede da igreja valdense, denominação protestante italiana (aqui). Lá, Berggy seguiu o protocolo de sempre, na sua anticruzada para destruição da Igreja. Beijou uma bíblia protestante mutilada e adulterada, e, de quebra, pediu perdão pelas malvadezas que a cruel e criptolefebvriana Igreja Católica perpetrou contra os abertos, misericordiosos e existencialmente periféricos protestantes ao longo dos séculos.

Nada de novo sob o sol, apenas o eterno retorno do mesmo ritual de ódio à Igreja de Cristo a que já estamos acostumados. Só mais uma bofetada no rosto de Nosso Salvador, na pessoa de todos os mártires católicos que morreram em defesa da Fé contra a heresia. O feijão com arroz bergogliano.

Quanto ao enésimo pedido de perdão aos inimigos da Fé de Cristo, este blog vê por ele delinear-se a cena final para que apontam todos os gestos do antipapa e de sua igreja elvis-bergogliana:

Os anticardeais reunidos em São Pedro, todos eles usando peruquinhas estilo Braz de Elvis, inclusive o antipapa.
Sentado na cátedra de Pedro, o Baixíssimo, em todo seu Fedor.
Berggy se ergue, caminha até ele, se ajoelha e pede perdão pelo combate que a Igreja de Cristo travou contra os poderes das trevas.

Eis para onde leva o bergoglismo.

Mas não vão conseguir, por mais que se esforcem. Non praevalebunt.

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Marthe Robin e o sofrimento



Aprendemos a amar e só amamos de verdade no sofrimento e pelo sofrimento, pois o verdadeiro sofrimento se constrói, não nas delícias humanas da vida presente, mas no despojamento e na renúncia de si e sobre a cruz.
É fácil blasfemar a provação e proclamar os direitos do homem à felicidade. Longe de procurar compreender esse grande e divino mistério do sofrimento, a maioria dos homens desvia o rosto da dor, como se ela nada tivesse a nos ensinar de nobre, de justo e de válido. Mas a alma que uma vez se perguntou: "Por que um Deus sofredor?" sente, em oposição a tudo o que o raciocínio pensa diante do misterioso drama do sofrimento, que ele é sem dúvida seu melhor amigo e lhe traz as maiores riquezas que ela possa desejar.
Dizia Jesus das parábolas que elas eram feitas para iluminar os que querem aprofundá-las e cegar os que olham sem ver e ouvem sem compreender.O mesmo acontece com a dor. Ela escandaliza e revolta os que se fecham em si mesmos e santifica aqueles que se empenham em olhar para Jesus, em ter fé em Jesus, em amar Jesus, em tomar sua própria cruz com a cruz de Jesus e em caminhar atrás dele, com humildade e amor.
É a loucura da cruz, que consiste em extrair da morte a imortalidade, a glória da humilhação, a alma do nada, porque não cessa de nos gritar a vacuidade do que passa.
Ele aceitou voluntariamente o sofrimento e a cruz e a propõe a todos os seus irmãos neste mundo como meio único de santificação e de salvação.: "Se alguém quiser vir atrás de mim, renuncie a si mesmo, tome sua cruz e me siga."

(Marthe Robin, cit em Le Voyage immobile, pp. 62/63)

quinta-feira, 18 de junho de 2015

Poluição teológica: sai a encíclica-lixo do antipapa


Nosso querido antipapa Francisco, o Deprimente, acaba de lançar a sua encíclica sobre o aquecimento global e a poluição.
Escrita a múltiplas mãos, com a ajuda de vários expoentes da Grande Avacalhação pós-concliar, como o Doctor Beijocarius, o herege polimorfo Leonardo Boff e o grande entusiasta do aborto em escala industrial Jeffrey Sachs, o texto antipapal pode ser descrito como uma síntese de toda a baboseira politicamente correta vomitada diariamente por Wall Street e Hollywood sobre a população de nosso pobre planetinha via  mainstream media. Bilderbergoglismo em estado cristalino: o interventor mundialista e homofílico no Vaticano diz o que seus coleguinhas donos-do-mundo mandam. E estamos conversados. Católicos: fora, rua!

Nada de novo sob o sol, portanto.

Mas não há como negar que o que poderia dar no máximo uma sofrível plataforma eleitoral para candidato a vereador pelo PV, quando apresentado como Encíclica papal, seja vergonhoso e deprimente. Como, aliás, tudo o que Berggy faz. Parece sina.

A quem podem interessar os palpites de um ex-leão-de-chácara argentino, tão analfabeto de pai e mãe em qualquer disciplina científica que é incapaz de balbuciar duas frases em inglês, sobre preservação de lagartixas, métodos de plantação de legumes ou outras questões técnicas de agricultura e biologia?

O que isso tem a ver com a confirmação da Fé??

A coisa chega a tal ponto de confusão, que, a determinada altura, o antipapa se pergunte por que falar de temas de Fé numa... encíclica papal:

Por que motivo incluir, neste documento dirigido a todas as pessoas de boa vontade, um capítulo referido às convicções de fé? (62)

Parece piada.

Que outro motivação pode ter uma encíclica como essa, resumo quintessenciado de todo o politicamente correto, a não ser legitimar com o selo apostólico o diktat das grandes potências ocultas que governam o planeta e apoiam ostensivamente o antipapa, depois de terem forçado a abdicação de Bento XVI?

E o pior é que, ao tratar de poluição, a encíclica se esquece de falar da pior espécie delas, a poluição doutrinal e teológica, que envenena não apenas o ambiente físico, mas principalmente a Fé. Só as primeiras páginas dessa encíclica-lixo já são suficientes para emporcalharem gerações de cristãos - se fosse uma autêntica encíclica, o que, obviamente, não é: antipapas não podem escrever encíclicas. Laudato si mi Signore por tornar isso cada vez mais claro!

A que ponto chegamos! Não há mais nenhum cardeal com vergonha na cara para pôr um ponto final nessa farsa? Parece que não.

domingo, 14 de junho de 2015

Berggy vai condenar Medjugorje?



Com base em algumas boutades de Berggy numa homilia recente em Santa Marta, tem-se falado muito numa condenação iminente das falsas aparições de Medjugorje por parte do antipapa. Posso até queimar a língua, mas duvido.
Berggy está acima de tudo preocupado com ibope, e a última coisa que passa pela sua cabeça é fazer um ato impopular, como a condenação de Medjugorje.
E por que o faria? Como prova o vídeo acima, nada mais elvis-bergogliano que Medjugorje.
E mesmo que Berggy não acredite naquelas aparições obviamente falsas, principalmente agora que deve ter em mãos o dossiê preparado pela Congregação pela Doutrina da Fé, sabemos que o antipapa não está nem aí com esse tipo de coisa. Falso ou não falso, muçulmano, cabalista, pentecostal, luterano, TL, Medjugorje, abortista, sodomita, para ele é tudo a mesma coisa e tudo está valendo.
Só não pode ser católico, e isso todos sabem que Medjugorje não é.
Por que condená-la, então?
Provavelmente vai primeiro fingir combater certos "excessos", para depois liberar geral, entregando, além disso, o lucrativo santuário aos animistas carismáticos.
E segue o enterro.

A venerável Marthe Robin e a Cruz


A pedido da mãe, seu pai fabricara uma cruz simples de madeira e a pregara à porta da casa. Ao terminar o trabalho, disse à pequena Marthe, de menos de dez anos:
- Não tem ninguém sobre essa cruz!
A que sua filha respondeu:
- Ah, então, a gente vai ficar nela.

(cf. Jean-Jacques Antier, Marthe Robin, le Voyage immobile, 1991, p. 20)

Pois:

"A Cruz é também contemplação."
(A.M. Carré, citado em id., p.41)

A venerável Marthe Robin (1902-1981), mística francesa, revivia todas as sextas-feiras a Paixão de Cristo e passou mais de 50 anos alimentando-se exclusivamente da hóstia consagrada.
Note-se que o seu calvário voluntário conseguiu resistir a 16 anos de fúria avacalhadora pós-conciliar, mesmo no olho do furacão, a pobre França. Teria resistido a Jorge Bergoglio e Dom Braz de Elvis?

sábado, 13 de junho de 2015

O antipapa, o inglês e a probidade intelectual



Ao assistir de novo ao vídeo acima, impressionante, em que nosso querido antipapa afirma com todas as letras que não liga a mínima para o dogma (dogma, porém, que para chegar até nós custou a crucificação do Logos divino), depois de desfilar seu total analfabetismo no que se refere à língua inglesa, fico pensando: como é que alguém com um inglês medonho desses, pior do que o de qualquer aluno de segundo mês de qualquer Fisk ou Yazigi da vida, pode ousar escrever uma encíclica sobre um tema como o aquecimento global, assunto cuja enorme bibliografia está, em mais de 90%, disponível só em inglês? E que honestidade intelectual pode ter a pessoa que ousa fazer isso? Que ideia pode ter, não só desse assunto, mas da produção científica em geral?
É vergonhoso. Mais uma vez vergonhoso, como sempre acontece com tudo o que Berggy toca.

sexta-feira, 12 de junho de 2015

O elvis-bergoglismo cresce: padre Elvis arrebenta no Butantã



Depois do nosso elegante Dom Braz de Elvis, dono talvez da mais estonteante coleção de peruquinhas do Vaticano inteiro, e do rocambolesco Don Elvis Petrescu, de que já falamos longamente aqui, chegou a vez do padre Elvis, inefável presbítero do Butantã, talvez o mais acachapante luminar do movimento "Elvis não morreu" dentro da igreja do antipapa peronista em São Paulo.

Note-se que, seguindo as pegadas (e as perucas) do nosso elegante e invejado Dom Braz de Elvis, padre Elvis passa boa parte da entrevista falando de seus cabelos, que, como ele faz questão de frisar, são naturais. Quem conhece os meandros da espiritualidade elvis-bergogliana sabe que isso quer dizer que padre Elvis reivindica a liderança da ala não-peruquiana do movimento, enquanto a liderança inconteste da ala peruquiana, mais clássica e ortodoxa, fica reservada, sem contestação possível, ao nosso heliogabálico Dom Braz de Elvis.

Existe também uma terceira corrente, a antiperuquiana, mas sobre ela preferimos calar. É composta por invejosos, gente incapaz de reconhecer com humildade a enorme riqueza espiritual das peruquinhas de nosso elegante Dom Braz de Elvis. A eles nosso repúdio e nosso alerta: inveja mata!

Mas nada pode mais deter o ímpeto do elvis-bergoglismo entre nós!

Elvis não morreu!

terça-feira, 9 de junho de 2015

Destruição de 10 mil igrejas católicas na França



Na França, cinquenta anos de violência bergogliana contra a Fé não são visíveis apenas aos olhos do espírito.

Dez mil igrejas abandonadas na França correm o risco de demolição por parte do poder maçônico, que não tem nenhum interesse em proteger o tesouro artístico e arquitetônico deixado pelo trabalho de gerações e gerações de franceses iluminados pela Fé. Ante o silêncio cúmplice do antipapa e da peruquinha de seus comparsas.



segunda-feira, 8 de junho de 2015

Meia-volta no Vaticano: Kasper nega que tenha o apoio do antipapa



Em entrevista que será transmitida no próximos dias (aqui), o herege polimorfo alemão Walter Kasper, teólogo predileto do antipapa, voltou atrás e negou na maior cara de pau que sua proposta de liberar a comunhão para divorciados e gays tenha o apoio de Berggy.

Sinal evidente de que o antipapa mudou de estratégia e vai evitar um confronto que o levaria a uma derrota certa no próximo Sinédrio por ele convocado para avacalhar o pouco que ainda resta da família cristã.

Para que a pressa?

Berggy tem a faca e o queijo na mão, o apoio da mídia, do lobby gay, da ONU e da grande finança internacional, não precisa correr riscos desnecessários.

Vamos ter o de sempre ao final do Sinédrio, um documento insípido, morno e ambíguo em que se reafirmará  da boca para fora a disciplina tradicional, MAS insistindo na inclusão de divorciados e gays na vida da igreja bergogliana. Enquanto isso, o antipapa seguirá a todo vapor nomeando hereges para os principais cargos da Igreja (aqui) e avacalhando a Fé da Igreja em entrevistas e filminhos promocionais.

E, ao final, a única real novidade no Sinédrio promete ser a nova peruquinha de Dom Braz de Elvis, que, segundo confidenciam os poucos privilegiados que já tiveram a honra de contemplá-la, promete arrasar com a concorrência e fazer morrer de inveja seus rivais dentro e fora do Vaticano.

Sem falar, é claro, na dancinha final, como no Rio. Nada mais se pode esperar da igreja bergogliana.

Morreu o interventor bergogliano contra os Franciscanos da Imaculada

Morreu o padre Fidenzio Volpi, interventor nomeado pelo antipapa, via Dom Braz de Elvis (cuja elegante coleção de peruquinhas tanta inveja tem causado), para destruir a mais pujante ordem religiosa católica da atualidade, os Franciscanos da Imaculada. Missão cumprida pelo padre Volpi com crueldade e maestria (aqui e aqui).

Os mesmos Franciscanos da Imaculada rezam hoje por sua pobre alma.

domingo, 7 de junho de 2015

Corpus Christi: a diferença entre um papa e um antipapa



Um papa ajoelha-se diante do Santíssimo; um antipapa, não.

PS: Dadas as insinuações de que o vídeo teria sido editado para suprimir cenas em que o antipapa se teria ajoelhado, estou inserindo abaixo um vídeo oficial do Vaticano que cobre a totalidade da cerimônia e demonstra cabalmente que em nenhum momento houve genuflexão.

sexta-feira, 5 de junho de 2015

Bach e a missa bergogliana



Diante do escândalo representado pela missa bergogliana, com comunhão na mão, parabéns a você, tango e bingo, alguns se apressam em acusar os protestantes pelo desastre.
Não é bem assim, como mostra o vídeo acima.
O fato é que o bergoglismo - cuja única façanha artística e espiritual é a coleção de peruquinhas de nosso elegante Dom Braz de Elvis - está espiritualmente anos luz abaixo mesmo do luteranismo antigo.
Conste.
Só desatamos os nós que vemos.

terça-feira, 2 de junho de 2015

Bergoglio faz piada com a crucificação de Cristo e dá risada


No livro El Jesuita - Conversaciones con el Cardinal Bergoglio, SJ, publicado em Buenos Aires em 2010 com entrevistas do futuro antipapa a dois jornalistas argentinos, o leitor satanista poderá deleitar-se com a seguinte piada contada por Berggy à página 42:

[A piada] é sobre um menino judeu que era expulso de todas as escolas por indisciplina, até que outro judeu recomenda ao pai do menino matriculá-lo num bom colégio de padres. E o encoraja, dizendo que ali com certeza o vão endireitar. O pai aceita o conselho. Passa-se o primeiro mês e o menino se comporta muito bem, sem nenhuma admoestação. Nos meses seguintes também não apresenta problemas de comportamento. O pai, vencido pela curiosidade, vai procurar o reitor do colégio para saber como o tinha posto nos trilhos. "Muito simples," responde o sacerdote. "No primeiro dia, puxei-o pela orelha e lhe disse, apontando o crucifixo: 'Esse era judeu que nem você. Se se comportar mal, vai acontecer o mesmo com você.'"

Risos.

Um scam do texto acompanhado de um comentário pode ser encontrado aqui.

O texto foi omitido na tradução inglesa.

Que espécie de cristão pode divertir-se com piadas sobre a crucificação de Cristo?

Antipapa admite abertamente a heresia



Para os que não querem ver o óbvio ululante, desta vez Berggy pôs preto no branco e admitiu que o que diz pode ser herético e que não está nem aí.

No vídeo acima, em 4:13:

E me vêm à mente dizer algo que pode ser uma insensatez, talvez uma heresia, não sei.

E se segue uma bobajada melodramática sobre a unidade sentimental de evangélicos, ortodoxos e católicos. Sem fé, sem doutrina e sem razão. Insensata, portanto sem Logos, sem Cristo.

Ou seja, aquele que foi escolhido por Cristo para confirmar na Fé os irmãos admite publicamente que não está nem aí com a Fé.

Isso, é claro, se fosse realmente papa, o que sabemos que não é. E o sabemos com clareza cada vez maior!

Se Bergoglio está certo, o sangue dos mártires foi em vão e a história da Igreja foram dois mil anos de sacrílegas ofensas a Deus!

Escolham!

sexta-feira, 29 de maio de 2015

Os bastidores do golpe: como funcionava a máfia bergogliana

Importantíssimo artigo de autoria do vaticanista espanhol Francisco José Fernández de la Cigoña sobre os métodos mafiosos do então arcebispo de Buenos Aires na execução de seus planos para destruir a Igreja (aqui). O artigo é de 2012, portanto anterior à eleição do atual antipapa.

Nele fica claro como agiu Bergoglio para sabotar Dom Livieres, bispo católico de Ciudad del Este, que mais tarde teria o triste fim que sabemos. Tudo no melhor estilo Cosa Nostra, com direito a espiões plantados em posições chaves, calúnias e vazamento de informações. Lembram-se dos Vatiliks que aconteciam na mesma época e infernizaram o final do pontificado de Bento XVI? Que coincidência!

Note-se que o papa do "quem sou eu para julgar" se especializava em falsas acusações de homossexualismo para desmoralizar os adversários. Puro lodo.

Texto fundamental para a arqueologia do modus operandi que levou à renúncia - forçada, portanto inválida - do papa Bento XVI e à eleição - igualmente inválida, por este e outros motivos - do chefe mafioso argentino.

Artigo ainda mais fundamental por ter sido escrito antes do golpe, descrevendo em tempo real como funcionava a máfia.

Como o texto espanhol não mais aparece no blog original (por que será?), reproduzimos abaixo a tradução portuguesa publicada na época pelo site neoconservador brasileiro Fratres in Unum (aqui). O texto original espanhol pode, porém, ser lido ainda neste outro blog que o reproduziu mais tarde (aqui).


A Máfia argentina do cardeal Bergoglio

Andares de Pedacchio no seu território de Paraguai
Cardeal Bergoglio - Expoente da Igreja Liberal na América Latina.
Cardeal Bergoglio - Expoente da Igreja Liberal na América Latina.
Seria bom dar algum exemplo de como o Pe. Pedacchio, oficial da Congregação para os bispos, informa o Cardeal Bergoglio e manipula, segundo suas orientações, informação que é confidencial – além de, é claro, distorcer e criar evidências.
Segundo fontes fidedignas, algumas das mais recentes atividades do cardeal de Buenos Aires e dos seus minutantesna Cúria Romana se concentram sobre um bispo do Paraguai. Recordemos que o Paraguai é precisamente o país do qual se encarrega Pedacchio na Congregação para os Bispos.
Dom Rogelio Livieres - Seu único defeito é ser católico
Dom Rogelio Livieres - Seu único defeito é ser católico
No final do ano de 2008 se produzia uma curiosa filtragem de informação altamente confidencial. Um bispo do Paraguai, Dom Rogelio Livieres, havia entregado ao Papa uma carta pessoal e confidencial durante a visita ad limina em que destacava alguns dos problemas prementes na nomeação dos bispos deste país – um desses bispos acabava de se tornar presidente da República, contra toda a lei canônica e depois se tornou público o que os bispos paraguaios guardavam em segredo: havia tido alguns filhos ‘segundo a carne’, para usar uma expressão das Escrituras.
Esta carta, pessoal e confidencial, foi filtrada pela imprensa do Paraguai para atacar a este bispo que buscava uma melhora nas nomeações episcopais. Com grande prejuízo, é claro, para Mons. Livieres. Ninguém, salvo Livieres, conhecia o texto desta carta no Paraguai. E ele entregou apenas uma cópia ao Papa. Provavelmente foi o mesmo Pedacchio quem, como oficial encarregado do Paraguai na Congr. para os Bispos, ‘filtrou’ esta informação que estava sob segredo pontifício.
Até o momento, é o que nos informaram alguns amigos de Assunção sobre este tema. Contudo, segundo nos informamos desde Argentina e da Santa Sé, a atenção privilegiada do Cardeal Bergoglio sobre este bispo paraguaio não se desgastou com o tempo. Pelo contrário, cresceu.
Padres e seminaristas de Ciudad del Este visitando as ruínas das missões jesuítas no país.
Padres e seminaristas de Ciudad del Este visitando as ruínas das missões jesuítas no país.
Para Bergoglio, do Paraguai, lhe importa sobretudo que não cresçam as vocações sacerdotais para o seminário de Ciudad del Este, que é uma verdadeira bofetada no progressismo reinante que alguns bispos paraguaios e também o mesmo Bergoglio incentivam. O que mais preocupa é que não triunfe a renovação eclesiástica e litúrgica que o Papa promove e que alguns chamam de ‘reforma da reforma’, ou seja, a vida litúrgica da Igreja conforme o estabelecido pelo Concílio Vaticano II, celebrada na dinâmica da ‘hermenêutica da continuidade’. Ele se preocupa com a forma de tantos sacerdotes jovens num contato fluído e habitual com a forma ordinária e extraordinária, algo muito pouco comum na América Latina.
A estratégia geral de Bergoglio seria desacreditar a obra de renovação eclesial encarada por Mons. Livieres, não desde a doutrina ou liturgia, onde encontra muito eco em Roma do Papa Bento XVI, mas desde os  procedimentos de promoção vocacional.
Na verdade, durante a reunião geral da O.S.A.R (Organização dos Seminários da República Argentina), em 10 de novembro de 2011, no Seminário de La Plata  (província de Buenos Aires), surgiu o tema a partir de um dos superiores do Seminário de Buenos Aires – supostamente revelando um segredo pontifício – sobre uma legislação particular que estaria sendo preparada em Roma para restringir o “trânsito” de seminaristas de um seminário para outro. Foi mencionado como exemplo um caso do Seminário de Ciudad del Este, com nome e sobrenome. Foi dito nesta reunião que a Santa Sé ‘processou’ um bispo paraguaio – leia-se Mons. Livieres – por receber um seminarista proveniente de Buenos Aires, sem haver pedido as informações canônicas, e procedendo a ordenação como diácono, também segundo eles, sem os requisitos acadêmicos.
Sejamos honestos. Ainda que Bergoglio tivesse pedido sanções para Livieres, não era necessário ir até o Paraguai – a terra vigiada por Pedacchio – para encontrar supostos exemplos destes casos. Ocorrem, de fato, com muita frequência na mesma Argentina. E não são poucos os seminaristas que fogem horrorizados do próprio seminário de Buenos Aires – e, para falar a verdade, não somente por razões litúrgicas. Por ter sido nomeado direta e publicamente este bispo, que por outra parte nos contam está oferecendo tantos frutos positivos em sua terra, quer dizer que Bergoglio e seus informantes estão querendo pelo menos desacreditá-lo, ou destruí-lo. Além da enorme injustiça que este ataque supõe para o bom nome do seminarista, que na realidade não teve nenhuma sanção disciplinar nem foi acusado de nada grave. Assim reconheceu publicamente o reitor do Seminário de Buenos Aires, Pe. Giorgi, quem, contudo, não levantou nem uma tímida voz para defendê-lo.
A coisa não terminou ai. Semanas depois, este tema foi tratado – novamente com nome e sobrenome dos ‘envolvidos’ – na reunião do Conselho Presbiteral da arquidiocese de Buenos Aires. Sempre buscando prejudicar o bom nome dos bispos que não estão bem vistos pelo Cardeal.
Alguém tem na consciência a obrigação de expressar o que tantos outros calam, por medo ou temor de ver sua carreira arruinada em represália. Tudo é conhecido na Arquidiocese de Buenos Aires. O triste é que o que surge destas fontes é distorcido, quando não mentiroso. E então é certo mais do que nunca o adágio “de Roma viene lo que a Roma va”, uma vez que em seguida, apenas disparadas as difamações ou calúnias, informantes adestrados como Pedacchino levam o “caso” a Roma, aos “contatos” chave, para semear infâmias e pedir sanções.
Sob os grandes sinais de humildade que ostenta, Bergoglio esconde não poucos desejos de poder real. E os teve desde suas origens na Guardia de Hierro e sua antiga relação com a P22 (com sua provada relação com Almirante Massera3). A sorte do cardeal é que foi atacada nestes pontos por um jornalista chamado Verbitzky, que foi desacreditado devido ao conhecido ódio visceral que tem contra a Igreja na Argentina. Deste modo, seu ataque a Bergoglio se afirmou tendencioso, mesmo com suas investigações sérias e bem documentadas.
O Papa e Bergoglio Quebra de sigilo pontifício e maquinações dignas da máfia italiana.
O Papa e Bergoglio Quebra de sigilo pontifício e maquinações dignas da máfia italiana.
Mas voltando sobre as aparentes preocupações de Bergoglio sobre o Seminário de Ciudad del Este, no Paraguai, surpreende tanto zelo quando o seu próprio seminário deixa tanto a desejar. É conhecido que há seminaristas de moral duvidosa que sonham em ser dirigidos espiritualmente por alguns dos menos recomendáveis bispos auxiliares do cardeal. “O Jesuíta” – como reza o título da sua autobiografia – que descuida tanto da vida espiritual e da formação do seu clero em vias de extinção, não guarda o menor pudor na hora de acusar. Sua especialidade é a acusação aos bispos por suposta homossexualidade, ou afinidade com homossexualidade, ou por proteção de homossexuais em seus seminários ou no clero. Outra das suas ferramentas é a acusação de problemas psíquicos. Tem para isto uma equipe de psiquiatras a sua disposição, que elaboram os “informes” úteis para o caso.
É uma pena que a Argentina, e em certo ponto o Paraguai e uma parte do CELAM – onde ele não está presente, mas estão os seus minutantes – tenham que pagar a conta das suas artimanhas. A próxima geração de bispos ficará comprometida por estas campanhas?
Quem quiser conhecer toda a verdade sobre Bergoglio não tem senão que reconstituir: recorrer e analisar o conjunto de informação que há sobre o cardeal – não os boatos ou denúncias anônimas, mas afirmações feitas por pastores autorizados. Só se encontrará dificuldades porque, quem trai o Papa revelando segredos pontifícios ou quem difama e calunia, também é capaz de dissipar algumas páginas ou as mesmas pastas de relatórios da Cúria Romana. No final do dia, vale tudo para torná-lo como o “Escolhido”, como o seu lema episcopal geralmente é explicado.
________
1 – Minutante: Oficial da Cúria Romana encarregado de redigir as minutas, que são projetos de notas oficiais e outros documentos. É a primeira etapa no trabalho na Cúria Romana, sendo um cargo de base.
2 -P2 é a designação mais comum para a Loja Maçónica italiana Propaganda Due (Propaganda Dois).
Além da Itália, a P2 também tinha atividades na Suécia no Uruguai, no Brasil e especialmente na “Guerra Suja” da Argentina (com Raúl Alberto Lastiri, Presidente por escasso período de Julho de 1973 até 12 de Outubro de 1973;Emilio Massera, que foi membro da Junta Militar de 1976 a 1978, líderada por Jorge Rafael Videla e José López Rega, Ministro das Obras Sociais no governo de Péron e fundador da Aliança Anticomunista da Argentina).
3 – Emilio Eduardo Massera (19 de outubro de 1925 – Buenos Aires, 8 de novembro de 2010) foi um militar argentino. Neto de imigrantes suíços de origen de [Chiavenna] (Italia), seguiu carreira militar na Marinha Argentina (Armada Argentina). Destacou-se entre seus colegas de arma como um hábil articulador político. Anti-peronista convicto participou do golpe que destituiu Juan Perón em 1955.Ironicamente foi promovido à almirante pelo próprio Perón após seu retorno de exílio em 1973. Após a morte do general em 1974, Massera somou-se aos conspiradores que efetuaram o golpe de estado em 24 de março de 1976 conta a presidente María Estela Martínez de Perón. Membro integrante da junta militar ao lado de Jorge Rafael Videla (Exército) e Orlando Ramón Agosti (Aeronáutica), Massera protagonizou através da Marinha Argentina uma repressão implacável aos opositores do regime, com um saldo de milhares de mortos.

quinta-feira, 28 de maio de 2015

São Paulo Apóstolo comenta a vitória do Império na Irlanda



Em gentil entrevista concedida fora do espaço e do tempo a este blog, São Paulo comentou nos seguintes termos a vitória do Império gay na Irlanda e, de um modo mais geral, a situação espiritual em Sodoma (ex-Ocidente) hoje:

Revelatur enim ira Dei de caelo super omnem impietatem et iniustitiam hominum eorum qui veritatem in iniustitiam detinent, quia quod notum est Dei manifestum est in illis: Deus enim illis manifestavit. Invisibilia enim ipsius a creatura mundi per ea quae facta sunt intellecta conspiciuntur sempiterna quoque eius virtus et divinitas ut sint inexcusabiles: quia cum cognovissent Deum non sicut Deum glorificaverunt aut gratias egerunt, sed evanuerunt in cogitationibus suis et obscuratum est insipiens cor eorum. Dicentes enim se esse sapientes stulti facti sunt, et mutaverunt gloriam incorruptibilis Dei in similitudinem imaginis corruptibilis hominis et volucrum et quadrupedum et serpentium. Propter quod tradidit illos Deus in desideria cordis eorum in inmunditiam ut contumeliis adficiant corpora sua in semetipsis qui commutaverunt veritatem Dei in mendacio et coluerunt et servierunt creaturae potius quam Creatori qui est benedictus in saecula: amen. Propterea tradidit illos Deus in passiones ignominiae: nam feminae eorum inmutaverunt naturalem usum in eum usum qui est contra naturam ,similiter autem et masculi, relicto naturali usu feminae, exarserunt in desideriis suis in invicem, masculi in masculos turpitudinem operantes et mercedem quam oportuit erroris sui in semet ipsis recipientes. Et sicut non probaverunt Deum habere in notitia tradidit eos Deus in reprobum sensum ut faciant quae non conveniunt repletos omni iniquitate, malitia, fornicatione, avaritia, nequitia, plenos invidia, homicidio, contentione, dolo, malignitate, susurrones, detractores, Deo odibiles, contumeliosos, superbos, elatos, inventores malorum, parentibus non oboedientes, insipientes, inconpositos, sine affectione absque foedere, sine misericordia: qui cum iustitiam Dei cognovissent, non intellexerunt quoniam qui talia agunt digni sunt morte, non solum ea faciunt, sed et consentiunt facientibus. (Romanos I, 18-32)

[Revela-se, com efeito, a cólera de deus do Céu contra toda impiedade e injustiça dos homens que oprimem a verdade, pois o que pode ser conhecido de Deus é manifesto entre eles: Deus lhos manifestou. Com efeito, as suas perfeições invisíveis, sua eterna potência e a sua divindade se tornaram, desde a criação do mundo, visíveis à inteligência por meio de suas obras. São, portanto, indesculpáveis, pois, tendo conhecido Deus, não O glorificaram como Deus e não Lhe deram graças, mas se tornaram vãos em seus pensamentos, e seu coração sem inteligência se envolveu em trevas. Gabando-se de serem sábios, enlouqueceram. E trocaram a majestade de Deus incorruptível por imagens que representam o homem corruptível, aves, quadrúpedes e répteis. Por isso Deus os entregou, em meio aos desejos de seus corações, à impureza, de sorte que eles desonrem entre si seus próprios corpos, eles, que trocaram o Deus verdadeiro pela mentira e adoraram e serviram a criatura de preferência ao Criador (o qual é eternamente abençoado, amém!). Por isso Deus os entregou a paixões ignominiosas: suas mulheres trocaram o uso natural pelo uso que é contrário à natureza. Do mesmo modo, também os homens, em vez de se valerem da mulher segundo a ordem da natureza, arderam, em seus desejos, uns pelos outros, tendo homens com homens um comércio infame e recebendo, em sua mútua degradação, o justo salário de seu erro. E como não se preocuparam em bem conhecer a Deus, Deus os entregou a seus sentidos pervertidos para fazerem o que não convém, enchendo-se de toda espécie de iniquidade, de malícia, de fornicação, de cupidez, de maldade, cheios de inveja, de pensamentos homicidas, de brigas, de fraude, de maldade, fofoqueiros, caluniadores, odiosos a Deus, arrogantes, orgulhosos, fanfarrões, engenhosos no mal, rebeldes aos pais, sem inteligência, sem lealdade, implacáveis, sem afeto, sem misericórdia. E embora conheçam o juízo de Deus que declara dignos de morte os que cometem tais coisas, não só as cometem, mas ainda aprovam os que os cometem.]

terça-feira, 26 de maio de 2015